Engº Civil Sandro de Almeida Lopes Coral

Sandro de Almeida Lopes Coral, 42, é engenheiro civil formado pela PUC-Campinas, turma de 1999. Natural de Indaiatuba e de família tradicional da cidade, entrou para o serviço público em 2001 como diretor da Secretaria de Obras e Vias Públicas, cargo que ocupou até 2003, a partir desta data já como funcionário efetivo assumiu como assessor.

Em 2007 tornou-se secretário adjunto da Secretário Municipal de Planejamento Urbano e Engenharia e dois anos mais tarde, em 2009, assumiu a pasta nomeado pelo prefeito Reinaldo Nogueira, cargo em que permaneceu até 2016, onde comandou uma equipe de aproximadamente 50 funcionários, suas atribuições fez com que participasse ativamente de todo o planejamento que resultou no desenvolvimento de Indaiatuba.

Durante sua permanência à frente da Secretaria de Planejamento Urbano e Engenharia atuou na implantação de programas importantes, foi revisor do Plano Diretor do Município, em 2010, contribuiu com o Plano Municipal de Saneamento Básico, em 2015, deu início ao Plano de Mobilidade Urbana, em 2016, e a informatização de todo o sistema da Secretaria de Engenharia fechando neste ano com a aprovação dos Projetos Via Digital onde implantou o programa “eAprove”, sistema de análise e aprovação de projetos de construção e cadastramento de obras por via eletrônica, também foi Presidente da Comissão Especial de Análise de Empreendimentos Imobiliários, durante toda sua gestão nesta pasta.

Toda essa bagagem foi fundamental para assumir em 29 de abril de 2016 a Superintendência do SAAE, para dar prosseguimento as obras de ampliação da capacidade de reservação de água e esgotamento sanitário do município.

Sua mãe Laudelina Aparecida de Almeida Lopes Coral é professora aposentada, e seu pai Indalécio Lopes Coral, empresário e esportista conhecido no ciclismo em Indaiatuba, esporte que Sandro também é adepto. Também tem uma irmã,  Indalécia Coral.

É casado com Taís Burck Lopes Coral, advogada com quem tem dois filhos – Conrado e Valentino Miguel.

sandro coral
Engº Agrônomo Nilson Alcides Gaspar

O engenheiro agrônomo Nilson Alcides Gaspar, nascido em 20 de março de 1969, em Campinas, é formado pela Escola Superior de Agronomia e Zootecnia, de Espírito Santo do Pinhal (SP).

Iniciou sua carreira na administração pública municipal em 1997, no cargo de diretor de Meio Ambiente, sendo nomeado secretário municipal de Urbanismo e do Meio Ambiente em 2001; cargo que exerceu até 3 de janeiro de 2011, quando foi nomeado superintendente do SAAE, pelo prefeito Reinaldo Nogueira.

No comando da Secretaria de Urbanismo e do Meio Ambiente destacou-se na regularização da expansão urbana do município, participando da atualização do Plano Diretor de Indaiatuba.

Atuou na implantação de programas importantes, como o da destinação dos resíduos sólidos, com a instalação do Aterro Sanitário, Aterro de Inertes, Ecopontos, Centro de Triagem de Material Reciclável, Compostagem, ampliação da coleta de óleo de fritura usado e ampliação da Usina de Biodiesel e instalação do Centro de Zoonoses.

Foi um dos principais responsáveis pela urbanização do Parque Ecológico, onde foram plantadas milhares de mudas de árvores, desassoreando o Córrego do Barnabé, e criando novos lagos.

Em sua gestão à frente da Secretaria Municipal de Urbanismo e do Meio Ambiente inúmeras Áreas de Preservação Permanente (APPs) foram recuperadas, dando lugar a áreas de lazer, como o Parque das Frutas, o Floresta Parque, entre outros.

Respeitado pelos órgãos ambientais por sua atuação, realizou cursos de aperfeiçoamento na área de saneamento básico, sendo um dos principais responsáveis por Indaiatuba ter conquistado, em 2010, o Selo Município Verde Azul, atribuído pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente às cidades que se destacaram nas ações ambientais, de proteção e valorização de seus recursos hídricos.

Na direção do Saae, Gaspar foi responsável por dar agilidade e andamento em obras importantes para aumentar a oferta de água para Indaiatuba, como a barragem do rio Capivari-Mirim, a maior obra de saneamento do município que regularizou a vazão do manancial responsável por abastecer 40% da população. A obra foi concluída no primeiro semestre de 2015, com um ano de antecedência.

No início de 2014, quando não choveu o suficiente e as mudanças climáticas apontaram para um ano atípico, o superintendente do Saae, demonstrou ter uma excelente visão administrativa e tomou medidas importantes que evitaram que Indaiatuba sofresse demasiadamente com a crise hídrica que afetou toda região sudeste do país.

Junto com o Prefeito Reinaldo Nogueira e o Deputado Rogério Nogueira lutaram e conseguiram reclassificar o Rio Jundiaí, que estava previsto para acontecer apenas em 2015 pelo Plano de Bacias dos Comitês PCJ, já prevendo a importância do Jundiaí para abastecer a cidade no período de crise hídrica e também para acompanhar o crescimento de Indaiatuba. Hoje a utilização do rio para captação ampliou em 40% a oferta de água bruta do município.

Acelerou muitas obras para aumentar a capacidade de tratamento e distribuição de água tratada, com a construção de mais de 100 km de novas redes e adutoras, e de nove novos reservatórios, que está ampliando de 33%  para 143% a capacidade de reservação da cidade, além da ampliação de duas estações de tratamento de água, ETA III (Pimenta) e ETA V (Morada do Sol) e a construção de uma nova, a ETA VI,  que irá tratar as águas do rio Jundiaí.

Pensando também na preservação de nossos Recursos hídricos, estão em andamento a construção de novos emissários e interceptores, ampliando a coleta do esgoto e também a ampliação da Estação de Tratamento de Esgotos Mario Araldo Candello, que fará com que o município colete e trate 100% do efluente gerado.

Está implantando o programa de atualização e recuperação de nascentes, para preservação dos cursos hídricos e ampliação da oferta de água para o município.

Gaspar vem adotando uma postura de transparência e mantendo a população informada sobre a situação do saneamento em nossa cidade.

FORMAÇÃO ESCOLAR

• 1º Grau (1ª à 8ª série).

EEPG “Randolfo Moreira Fernandes”.

1976 a 1984.

• 2º Grau (1º ao 3º ano) – Técnico em Agropecuária.

ETAESG “Martinho Di Ciero” (Itu).

1984 a 1986.

• 3º Grau – Engenheiro Agrônomo.

Faculdade de Agronomia e Zootecnia “Manoel Carlos Gonçalves”.

Espírito Santo do Pinhal (SP).

1987 a 1991.

CURSOS

Regional de Extensão Agrícola (1985).

Sistema de Produção de Sementes (1990).

Receituário Agronômico (1990).

Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas (1998).

Avaliação de Impactos Ambientais para Obras de Saneamento (1998).

Implantação de ISO 14000 (2002).

Gerenciamento de Resíduos Industriais (2002).

Fiscalização de Posturas Municipais (2004).

Paisagismo (2008).

Aproveitamento de águas de chuva para fins não potáveis (2009).

Licenciamento Ambiental Aplicado (2010).

TÍTULOS / AGRADECIMENTOS / HOMENAGENS

Título Honorífico de Cidadão Indaiatubano (2004).

Moção de Congratulação pelo serviços realizados frente à Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e do Meio Ambiente

Rotary Club de Indaiatuba (2002, 2003, 2008 e 2010).

Medalha Leonor de Barros Camargo (2008).

Associação Brasileira Nishikigoi (2009).

Ordem do Mérito Lesgilativo Municipal (2015).

gaspar
Engº Alexandre Carlos Peres

Formado em engenharia civil, em 1994, pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, o atual superintendente ingressou no SAAE como engenheiro, em 09 de janeiro de 1995, assumindo já no ano seguinte o comando do Departamento de Obras, permanecendo no cargo de diretor após classificar-se em primeiro lugar no concurso público realizado em 1998.

Nestes 15 anos de dedicação exclusiva, ocupou os principais cargos de direção, acumulando, desde janeiro de 2003, a função de diretor de Obras bem com a de assessor da superintendência. Em 2007, na disputa para eleição do Funcionário Padrão do SAAE, obteve mais de 50% dos votos: sendo o resultado considerado como o reconhecimento público por seu comprometimento com o crescimento e desenvolvimento da autarquia. No início de 2008, foi nomeado superintendente-adjunto, e em 10 de março do mesmo ano, superintendente.

Nascido em Campinas, no dia 5 de junho de 1971, recém-nascido retornou à Indaiatuba, onde sempre residiu. Seus pais são pessoas muito conhecidas e respeitadas da sociedade indaiatubana. O engenheiro Alexandre Carlos Peres é filho do também engenheiro civil Wanderley Peres, falecido em 2001, que exerceu o cargo de superintendente do SAAE por nove anos: de 1977 à 1979 e de 1983 à 1988. Pelos serviços prestados à comunidade, o ex-superintendente foi homenageado pela Câmara Municipal que deu o seu nome ao Centro Cultural da Praça Dom Pedro II.

Sua mãe é a professora Maria Bernardete Amgarten Peres, 58 anos, formada em Ciências Físicas e Biológicas e em Pedagogia, que ocupou o cargo de vice-diretora e diretora da Escola Estadual Professor Milton Leme do Prado; diretora da Escola Estadual Professora Maria Benedicta Guimarães; foi supervisora educacional da rede municipal de Ensino, se aposentando como coordenadora pedagógica da Escola Estadual Professora Suzana Benedita Gigo Ayres.

Alexandre tem apenas uma irmã, a advogada Adriana Jerusa Peres.

alexandre peres
Cap. Nelson Lopes da Silva

Nelson Lopes da Silva nasceu em Cajurú (SP). É formado pela Academia da Policia Militar do Barro Branco, na capital. Trabalhou durante 25 anos na Polícia Militar do Estado de São Paulo. Como capitão, comandou vários Pelotões e Companhias da PM, em diversas cidades. No início de 2005, assumiu a Chefia do Gabinete Institucional do prefeito José Onério, onde permaneceu até 19 de julho do mesmo ano, quando foi nomeado Superintendente do Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE).

Cap. Nelson Lopes da Silva
Engº Antonio Jorge Trinca

Antonio Jorge Trinca, é engenheiro mecânico, iniciou sua carreira política como vereador em 1992. Foi eleito vice-prefeito em 1996 e reeleito em 2000.

Nesse período atuou como Secretário de Administração no primeiro mandato e como Secretário de Governo no segundo. Em janeiro de 2005 assumiu a Superintendencia do SAAE Indaiatuba, tendo exercido o cargo até 18 de julho do mesmo ano.

trinca
Engº Pedro Claudio Salla

Nascido na cidade de Campinas, filho de Pedro Salla e Laura Geni Soliani Salla, residente em Indaiatuba há 30 anos.

Casou-se com Maria Emilia Alves (in memorian) com quem teve três filhos: Guilherme, Luciana, Daniel e a neta Júlia.

Salla, como é chamado por todos, graduou-se em Engenharia Civil, no ano de 1977, pela Pucc – Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

É sócio fundador da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Indaiatuba.

Foi premiado por duas vezes pela imprensa, como engenheiro revelação do ano e condecorado pela Sociedade Brasileira de Heráldica, Medalhística, Cultural e Educacional, em nível de desempenho pessoal, com a “Medalha da Ecologia”.

Incansável dedicação e amor pelo que faz, são características marcantes do profissional Eng° Salla, que atua na área de saneamento há 27 anos.

Foi responsável pela implantação do primeiro sistema de tratamento de esgotos da Bacia do Rio Jundiaí. Exerceu o cargo de Superintendente do Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Indaiatuba, por três vezes.

Foi o responsável técnico e coordenador da construção da ETE Mario Araldo Candello, considerada como uma das obras mais importantes do paí, fazendo com que Indaiatuba se torne pioneira no Brasil, em atender 100% de esgotos tratados.

salla
Tadao Toyama

01/01/1997 – 01/01/2003

tadao
Marcelo Caricol Iaralham

02/05/1996 – 31/12/1996

marcelo
Ricardo Fioravante Spíndola

01/01/1993 – 01/03/1996

spindola
Engº Wanderley Peres

Nasceu em 14/05/1940 na cidade de Monte Mor e passou a morar em Indaiatuba no ano de 1952. Foi homenageado em 1957, pelo Rotary Club, por ter sido o 1° aluno da turma ginasial. Como Cabo do Exército no Quartel de Jundiaí, serviu no período de 1959 à 1960.

Casou-se com a professora Maria Bernadete Angarten Peres, em 21/12/70 tendo como filhos o Eng° Alexandre Carlos Peres e a advogada Dra. Adriana Jerusa Peres Ambiel.

Cursou a Faculdade de Ciências Físicas e Biológicas de Itu (1967 à 1969); Faculdade de Matemática em Guaxupé/MG (1971 à 1973); Curso de Especialização em Matemática na cidade de Bragança Paulista (1974 à 1975).

No ano de 1977 formou-se Engenheiro Civil pela PUC Campinas, realizando assim um antigo desejo.

Lecionou na Escola de Comércio Candelária e na Escola Dom José de Camargo Barros por mais de vinte anos, tendo como alunos, Eng° José Carlos Tonin, Eng° Antonio Jorge Trinca, Eng° João Martini Neto, dentre outros.

Engenheiro Civil atuante na Cidade de Indaiatuba a partir de 1978, realizou centenas de projetos, sendo também um dos engenheiros responsáveis pela restauração do Casarão do Pau Preto.

Em conjunto com outros engenheiros fundou a AEAI – Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Indaiatuba, sendo o seu segundo presidente no período de 79/80 e reeleito para o mandato de 80/81.

Sócio Fundador do Clube 9 de Julho, estando sempre muito presente e participativo na vida da comunidade, colaborou por muitos anos com o Centro Espírita Apóstolos do Bem; realizou projetos gratuitos para Entidades Filantrópicas, Creches etc.

Buscando seu equilíbrio físico-emocional, foi estudioso e praticante por mais de 10 anos, da “Yoga de Auto Realização” de Paramahansa Yogananda.

Cantor, compositor, intérprete, poeta e escritor, participou dos Festivais de Música Popular Brasileira de Indaiatuba ficando em segundo lugar no ano de 1969 e conquistando o primeiro lugar em 1970. Participou também do Festival de Música em São Roque em 1977, ficando com o segundo lugar. Foi colaborador por muitos anos do Jornal “Tribuna de Indaiá” e Jornal “O Votura”, escrevendo centenas de artigos.

Participou como músico das domingueiras do Clube 9 de Julho, e junto com um grupo seleto de amigos que por vezes contou com a presença de Nabor Pires de Camargo, realizava serenatas nas ruas da cidade.

Organizou o Coral da Escola Dom José de Camargo Barros, chegando a gravar um compacto.

Fundou a Escola de Esperanto, onde lecionava a língua considerada a mais perfeita do mundo. Por dominar totalmente este idioma, participou inclusive do 69° Congresso Internacional de Esperanto, em Brasília.

Estudioso também sobre a Ufologia, foi presidente da “Arconave de Indaiatuba” em 1982, onde pesquisavam dentre outras coisas, sobre discos voadores.

Conduziu o programa Clube da Saudade em 1984 na Rádio Jornal de Indaiatuba, participando também com muito sucesso de vários eventos “Maio Musical”.

Superintendente do SAAE nas gestões de 1977 a 1979 e 1983 a 1988, realizou diversas obras, destacando-se o Laboratório de Análises de Água – um modelo para a região; a adutora Morungaba/Cupini; a construção da nova captação do Cupini; a reforma e ampliação da ETA Vila Avaí, dentre outras.

Foi precursor do Projeto Piraí e indicado pelo então prefeito de Campinas Magalhães Teixeira, para presidir a comissão de despoluição do Rio Jundiaí.

Wanderley sempre teve a mente focada no futuro, tanto que seu slogan frente ao SAAE foi “Água para Indaiatuba até o ano 2000”.

Quando deixou o SAAE no final da década de 80, foi convidado para trabalhar no CDHU como engenheiro coordenador, onde se aposentou.

Membro da “Ordem RosaCruz” por 10 anos, sempre buscou seu crescimento espiritual. Fundou em Indaiatuba, no ano de 1993, a Sociedade Brasileira de Eubiose, de cunho cultural/espiritualista, sendo seu Administrador Regional por quatro anos.

Escreveu e lançou o livro “Hari-Mag-Edon do Apocalipse” em 1998, cujo contexto trata-se da interpretação do Apocalipse. Sua edição foi rapidamente esgotada.

Falecido em 09 de Julho de 2001, recebeu uma sincera homenagem no Salão Social do Clube 9 de Julho, promovida por seus familiares, onde contaram a história de sua vida, através de vídeos, cds e um relato emocionado de seu filho, Alexandre Carlos Peres. Estiveram presentes mais de 200 pessoas das mais significativas de nossa sociedade.

wanderley
Dr. Rafael Elias José Aun

Nasceu na cidade de Indaiatuba, em 27/03/1934 e após a conclusão do Ensino Médio, cursou a Escola Normal Livre Campineira, habilitando-se professor.

Formou-se Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUCCAMP. Cursou até o 2° ano da Faculdade de Administração de Empresas da PUCCAMP.

Participou de outros cursos como: Administração de Serviços de Água e Esgotos; Organização, Administração e Funcionamento de Serviços Urbanos; Licitação e Contratos Administrativos; Estudos e Pesquisas de Administração Municipal; Direito e Administração, pela Associação Paulista de Municípios.

Participou também de Ciclos de Palestras; VI Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e XVIII, XIX e XX Congresso Estadual de Municípios.

Lecionou na Escola “Randolfo Moreira Fernandes” no período de 1956 a 1960, como professor primário.

Foi um dos Fundadores do Jornal “A Gazeta de Indaiatuba”, e após o Jornal “Tribuna de Indaiá” onde permaneceu como redator e revisor, até dezembro de 1976.

Na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, foi assessor da vice-liderança de 1961 a 1964, assumindo posteriormente o cargo de Secretário de Comissões Técnicas da Assembléia, até 1968.

Esteve sempre muito envolvido com a vida da comunidade tendo sido Sócio-Representativo do Rotary Club de Indaiatuba, especialmente presidindo o clube em 1982/83 e 1985.

Entre outros Clubes, Conselhos, Sociedades, Grêmios, Fundações, Tribunais e Associações, destacamos a instalação em 1983, da Ordem dos Advogados do Brasil – 113ª Subsecção de Indaiatuba, onde também foi eleito seu Presidente para o biênio de 1983/84.

Ingressou na Prefeitura Municipal de Indaiatuba, em 01 de Janeiro de 1970, assumindo o cargo de Diretor do SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgotos, de sua implantação até 31 de Janeiro de 1977. Em 22 de novembro de 1976, após aprovação em concurso, passou a exercer também o cargo de Procurador.

No SAAE, promoveu a descentralização da Autarquia, transferindo-a para prédio próprio. Com a liberação de dois financiamentos, acrescidos de recursos próprios, implantou o novo sistema de abastecimento de água, compreendendo: duas captações (Mirim e Cupini), duas adutoras, Estação de Tratamento de Água, reservação e distribuição, inclusive com a fluoretação, pois na época menos de 10 cidades brasileiras adicionavam o flúor na água. O sistema inaugurado, já previa sua ampliação, permitindo a duplicação de sua capacidade.

Este empreendimento iniciou-se com o projeto básico e concluiu-se com a medição (instalação de hidrômetros), permitindo o crescimento demográfico e a vinda de novas indústrias para a cidade.

O SAAE desburocratizou o serviço, implantando a emissão das contas mensais de água medida, por processamento de dados, fato inédito no serviço público local.

Exposições e palestras sobre o novo sistema, foram promovidas, visando a concientização da população para o consumo da água tratada, pois muitos ainda optavam por consumir água poluída dos chafarizes e outras fontes sem tratamento.

A partir de 1° de fevereiro de 1977, no cargo-efetivo de Procurador, passou a assessorar a Prefeitura em seus assuntos jurídicos.

Além das atribuições específicas de seu cargo, fez parte de serviços em comissão, como: sindicâncias e inquéritos administrativos; comissões especiais de auxílios e subvenções, defesa civil e julgamentos de licitações. Atuou também como Presidente da Copel – Comissão Permanente de Licitações.

Colaborou com o SAAE, assessorando a Autarquia no processamento e julgamento das concorrências públicas; na Câmara Municipal, na elaboração de editais e no processamento de concorrências, integrando a Comissão de Julgamento, para a construção de seu prédio, e foi orador oficial em algumas festividades promovidas pela Prefeitura.

Faleceu em 21 de Dezembro de 2001.

Rafael