pp WhatsApp Image 2019-02-25 at 11.26.28 (2)

ETE MÁRIO ARALDO realiza testes e prepara a interligação das novas lagoas de tratamento

  • Redatores: Marco Matos – DCS Saae
  • Release N.º: 1207
pp WhatsApp Image 2019-02-25 at 11.26.27admin | SAAE | Indaiatuba -SP

O Serviço Autônomo de Água e Esgotos (SAAE) e a Construtora Elevação, responsável pela obra de ampliação e adequação da Estação de Tratamento de Esgotos Mario Araldo Candello (ETE MAC), realizaram, entre os dias 18 e 22, testes em diversos itens já construídos na obra.

A nova Calha Parshall, responsável por medir a vazão (constante) do esgoto no processo de tratamento, já entrou em operação, direcionando para o tanque de contato para desinfecção do efluente tratado biologicamente, também já está pronto. A Calha antiga será recondicionada para ser usada na Estação de Tratamento de Água de Reuso.

Os novos decantadores (três no total) também já estão sendo testados, sua finalidade é a de separação sólido-líquido por gravidade, sendo o composto sólido descartado em aterro apropriado. Todas as estações elevatórias envolvidas no teste também corresponderam às expectativas, fazendo o translado dos resíduos durante o processo.

O próximo passo será a interligação das novas lagoas ao processo, que é um dos mais avançados métodos de tratamento de esgoto do mundo: o biológico, hoje sua capacidade máxima de tratamento é de 1000 litros por segundo, com uma carga orgânica de 200 DBO5 mg/l.. Após as obras sua vazão máxima de tratamento será ampliada para 1320 L/s e uma carga orgânica diária estimada em 458 DBO5 mg/l.

 “Esta obra quando finalizada tornará ainda mais eficiente nosso sistema de tratamento de efluentes, tornando ainda menor o impacto que o crescimento da cidade tem no meio ambiente de nossa região. ” Comenta o superintendente do Saae, engº Sandro Coral.

ETE MÁRIO ARALDO CANDELLO

A ETE MAC está sendo adequada e ampliada para tratar 100% do esgoto coletado no município. A estação utiliza um dos mais avançados métodos de tratamento de esgoto do mundo: o biológico, pelo processo de lodo ativado por aeração prolongada com ar difuso, cuja finalidade é introduzir ar atmosférico na massa líquida. A eficiência mínima será de 95% na remoção de DBO e de 80% na remoção de nutrientes (NTK).

A ampliação também contempla o modelo de tratamento terciário através de desinfecção do efluente por hipoclorito de sódio e utilização de membranas ultra filtrantes no processo de produção de água de reuso. O resultado do tratamento será um produto que poderá ser utilizada por empresas que não usam água tratada em suas linhas de produção, para lavagem de ruas e rega de jardins.

WhatsApp Image 2019-02-25 at 11.26.27
WhatsApp Image 2019-02-25 at 11.26.27 (2)
WhatsApp Image 2019-02-25 at 11.26.28 (2)
_DCS6627