Laboratório de Águas do Saae Monitora a qualidade da água do município

Foto 6 Lab_p

Laboratório de Águas do Saae Monitora a qualidade da água do município

  • Redatores: Marco Matos – DCS Saae
  • Release N.º: 1223
_DCS3654_padmin | SAAE | Indaiatuba -SP

O Laboratório de Águas do Controle de Qualidade do Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae) avalia a condição dos corpos hídricos existentes (poços, nascentes, rios, córregos) e da água tratada distribuída à população de Indaiatuba, através de coletas e análises, que atendem a diversas legislações vigentes.

Possui implantada um Sistema de Gestão da Qualidade com a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025, garantida por auditorias internas anuais e por avaliações periódicas do INMETRO.

O trabalho é realizado utilizando um sistema informatizado que permite o rastreamento das amostras a cada instante, desde o momento de entrada até a emissão do relatório ao solicitante, além de manter o registro de todas as amostras analisadas.

O Laboratório conta, desde 2014, com uma Unidade Móvel de Monitoramento de Água Bruta, utilizada para análises em mananciais (rios, lagoas, córregos).

Todas as segundas e quarta feiras são coletadas amostras em 6 pontos de mananciais (totalizando aproximadamente uns 12 pontos de coleta) e são realizados mais ou menos 15 parâmetros para cada amostra, o que totaliza pelo menos 720 análises da qualidade da água dos mananciais por mês.

O Laboratório também monitora o rio Capivari-Mirim, importante manancial do município, responsável por 27% do abastecimento. São coletadas amostras em 6 pontos para calcular o Índice da Qualidade da Água, (IQA) da nova barragem. Este monitoramento é feito trimestralmente, de acordo com o projeto da construção de barragem deste rio, e é apresentado para a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB).

A autarquia também contrata laboratórios acreditados na norma ABNT NBR ISO/IEC 17025 para atender a verificação de parâmetros exigidos pela legislação federal (a Portaria de Consolidação nº 5 – anexo XX).

Os dados desses relatórios são digitalizados no banco de dados do sistema informatizado da Vigilância Sanitária (o SISÁGUA) e esses dados vão compor um imenso banco de dados do Ministério de Saúde.

No site do SAAE estão disponíveis os dados das análises e informações diversas relacionadas com a água que é tratada e distribuída para beber.

Na página:  http://www.saae.sp.gov.br/qualidadeagua/ você encontra:

  • Informações sobre quais produtos químicos são usados no processo de tratamento;
  • Quais os mananciais que cada Estação de Tratamento usa;
  • Quais substâncias o SAAE verifica na água.
  • Os valores médios (mês a mês) de Cor, Turbidez, Fluoretos, pH e Cloro Residual da água potável.
  • A quantidade das amostras analisadas.

MANANCIAIS

Mananciais são todas as fontes de água, superficiais ou subterrâneas, que podem ser usadas para o abastecimento público. Isso inclui, por exemplo, rios, lagos, represas e lençóis freáticos. Para cumprir sua função, um manancial precisa de cuidados especiais, garantidos nas chamadas leis estaduais de proteção a mananciais. Indaiatuba é abastecido por sete mananciais:

REPRESA DO CUPINI E MORUNGABA

A represas do Cupini e Morungaba é responsável por 15% do abastecimento de nossa cidade. Uma curiosidade é que a represa do Cupini, inaugurada em 1937, foi o primeiro sistema de água potável encanada de Indaiatuba. Classificação: água de classe 1.

RIO CAPIVARI MIRIM

Afluente do rio Capivari, é responsável por 27% do abastecimento da nossa cidade. Classificação: água de classe 2.

RIBEIRÂO PIRAÍ

Afluente do rio Jundiaí nasce na Serra do Japi, no município de Cabreúva. Em Indaiatuba percorre apenas a área rural, responsável por 16% abastecimento de nossa cidade. Classificação: água de classe 2.

CÓRREGO DA BARRINHA

Responsável por fornecer 7% da água que abastece nossa cidade, é um afluente do rio Jundiaí e atravessa a Fazenda Pimenta. Classificação: água de classe 2.

RIO JUNDIAÍ

Recentemente foi enquadrado como classe 3, que permite ser usado para consumo humano, aumentando em 40% a oferta de água bruta para o município. É responsável por 30% do abastecimento.

CORREGO DO BARNABÉ

Auxilia no abastecimento da Zona Sul, fornecendo água para 60 mil pessoas. Classificação: água de classe 2.

Os corpos d´água (mananciais) são enquadrados em classes, segundo a resolução CONAMA 357/2005. São elas:

Classe especial – destinada para consumo humano, com desinfecção.

Classe 1 – pode ser destinada ao consumo humano, após tratamento simples.

Classe 2 – pode ser destinada ao consumo humano, após tratamento convencional.

Classe 3 – pode ser destinada ao consumo humano, após tratamento convencional ou avançado.

Classe 4 – destinada apenas para navegação e paisagismo.

SISÁGUA

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO tem por objetivo manter atualizado um Banco de Dados com informações importantes, referentes as diferentes formas de Abastecimento de Água, visando análise e avaliação sobre a Qualidade da Água destinada ao Consumo Humano com objetivo de possibilitar melhor Planejamento das Ações de Vigilância no âmbito do SUS, conforme estabelecido na Portaria MS nº 518/04.

Foto 5 lab
_DSC7126_b
Foto 6 Lab
_DCS3654