DSC_0075

SAAE faz mais uma campanha de coleta de embalagens vazias de agrotóxico

  • Redatores: Rose Parra – DCS Saae
  • Release N.º: 1287
DSC_0075admin | SAAE | Indaiatuba -SP

O produtor rural brasileiro que faz uso de defensivos agrícolas (agrotóxicos) precisa devolver as embalagens vazias desses produtos nas unidades do Sistema Campo Limpo, como é chamado o programa de logística reversa que funciona no país. No caso de Indaiatuba o Centro de Recolhimento está localizado na cidade de Piedade/SP.

A Campanha de Coleta de Embalagens Vazias de Agrotóxico acontece desde 2015, em uma ação conjunta entre o Serviço Autônomo de Água e Esgotos (Saae), Prefeitura Municipal de Indaiatuba por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e do Meio Ambiente (Semurb) e do Sindicato Rural de Indaiatuba.

A Campanha foi realizada nessa terça-feira (5), no Galpão de distribuição de frutas (Sítio do Josué Marchetti). A estimativa é que sejam coletadas aproximadamente 100 mil embalagens o que equivale a cerca de oito toneladas. A Campanha é promovida pela Associação dos Distribuidores de Insumos Agrícolas do Estado de São Paulo (ADIAESP).

As embalagens coletadas são vetores de contaminação na área rural e são encaminhadas ao centro de recolhimento em Piedade, onde boa parte é reciclada. Foram recolhidas embalagens de plástico, papel e papelão que também sofrem algum tipo de contaminação e tem de ser descartados. A adesão dos produtores rurais tem crescido gradualmente.

Os técnicos da ADIAESP fazem a documentação de recolhimento de todas as embalagens que são levadas até o ponto de coleta e a prefeitura de Indaiatuba e Saae, fazem o transporte até o centro de recolhimento. Do total recolhido, boa parte do material têm condições de ser reciclado. O restante é incinerado. A entrega em unidades credenciadas é importante, pois permite que o material seja devidamente avaliado, e, assim, apenas o que está dentro dos padrões de qualidade pode ser reciclado. Como as recicladoras parceiras respeitam os padrões preestabelecidos de segurança, qualidade e rastreabilidade, além das normas dos órgãos ambientais e as exigências legais, os artefatos produzidos após a reciclagem podem ter seu uso aprovado para comercialização.

“O produtor que cumpre sua parte contribui com um importante ciclo que traz benefícios ambientais, além de facilitar para que o produtor rural possa devolver as embalagens vazias nas revendas. Estamos colaborando com o meio ambiente que é o grande beneficiado, uma vez que o descarte correto das embalagens não contamina os lençóis freáticos e cursos d’ água, além de evitar o uso dos recipientes para outros fins, ação que pode levar à morte, dependendo do tipo e quantidade de veneno ingerido”, alerta o superintendente da Autarquia, Eng. Sandro Coral.

DSC_0064
DSC_0075
DSC_0088
DSC_0099