aguas

  • Redatores: Marco Matos – DCS Saae
  • Release N.º: 967
aguasadmin | SAAE | Indaiatuba -SP

No dia 7 de setembro comemoramos a Independência do Brasil, proclamada por Dom Pedro I, as margens do Ipiranga, o famoso córrego que serviu de cenário para o evento histórico.

Assim como esta, muitas histórias importantes pelo mundo se passaram próximas a algum curso hídrico: rio, riacho, córrego, lago ou lagoa.

Segundo a lenda, foi na foz do Córrego do Barnabé, quando deságua no rio Jundiaí, que Indaiatuba surgiu em meados do século XVIII.

Em seu início, ainda um povoado, foi um dos bairros rurais da Vila de Itu, no caminho que era passagem de tropas para o sul do Brasil. O arraial aparece como Indayatiba nos registros do censo de 1768. Com uma pequena população que vivia, sobretudo, de suas roças de milho e feijão, esse arraial também é chamado de Cocaes, por causa dos seus campos de palmeiras Indaiá.

Nos séculos XVIII e XIX, há referências aos bairros de Piraí, Itaici, Mato Dentro e Buru. Por volta de 1850, não havia um só córrego com queda suficiente para mover uma roda d’água que não tivesse um Engenho (fábrica de fazer açúcar).

Desse primeiro período de ocupação surgiu o núcleo urbano que inclui a Igreja Matriz, a Casa Número 1 e o Casarão. Sua construção é de taipa-de-pilão. Construído com a frente para o Córrego Barnabé, o prédio serviu de sede para a fazenda, produtora de açúcar e, posteriormente, de café.

Apenas com essa pequena parte da história de uma cidade podemos constatar a importância que a água tem para o desenvolvimento de uma região.